Chegamos no mês de março, e você sabe o que isso significa?

Que estamos no mês internacional do cuidado e prevenção da doença renal. Nossos pets precisam de proteção todos os meses do ano, mas neste em especial, voltamos a atenção aos rins dos nossos pets.

E por que precisamos de um mês inteiro de conscientização para doenças renais?

Porque o rim é um órgão de fundamental importância, responsável por filtrar o sangue e eliminar substâncias prejudiciais ao organismo, como amônia e ureia, evitando a perda excessiva de água e mantendo o equilíbrio necessário entre ácidos e bases, além de produzir alguns hormônios.

O pet que apresenta alguma alteração renal tende à desidratação e ao acúmulo no sangue de componentes que deveriam sair na urina. As possíveis causas de alterações renais podem estar relacionadas a infecções, inflamações, presença de parasitas, traumas, intoxicações, doenças autoimunes, congênitas ou hereditárias, entre outras.

E, geralmente, os sintomas mais observados são o aumento da ingestão de água, alteração no volume diário de urina, vômito, diminuição do apetite e posterior emagrecimento, hálito forte, cansaço e fraqueza.

É importante destacar que essas alterações acontecem também em função de outras doenças, por isso, é imprescindível que o diagnóstico seja feito por um veterinário de sua confiança, o que pode ser facilitado se o pet for submetido a uma rotina de check-ups, pelo menos, duas vezes ao ano.

As doenças renais estão entre as principais causas de óbito de cães e gatos acima dos 7 anos de idade e, em graus diversos, chegam a acometer até 60% da população de pets idosos. Quando o problema se torna crônico, ele não tem cura, mas o diagnóstico precoce pode proporcionar melhor qualidade de vida para o animal.

Sem tratamento, as doenças renais podem comprometer outros sistemas no organismo do seu pet, como problemas cardiovasculares, digestivos, hematopoiéticos, esqueléticos e neurológicos